O jornal SAVANA escolheu a Directora Artística do Xiquitsi como a Figura Cultural de 2019.
Pesou, para esta escolha, o facto de Kika Materula liderar a ambiciosa iniciativa desenvolvida pela Kulungwana, mas também por tocar Oboé, impor-se e impor o nome de Moçambique no estrangeiro.

Na última edição do ano passado(27 de Dezembro), o semanário SAVANA anotou que Kika Materula mereceu o mais alto reconhecimento cultural pelo facto de ser uma solista de mão cheia e fazer parte da Orquestra Sinfónica do Porto, em Portugal, país onde se viu formada na Escola de Música de Lisboa, e ter feito a sua pós-graduação na Suécia.

Kika Materula lidera o Xiquitsi, um projecto sem fins lucrativos, criado em 2013 pela Kulungwana e que se dedica ao desenvolvimentos da música clássica em Moçambique. A iniciativa de carácter formativa permitiu a criação da Orquestra e Coro Xiquitsi, que se apresenta anualmente em Temporada, dividida em três séries.
Com efeito, em 2019, o Xiquitsi conseguiu estender os concertos para mais províncias, colocar seus alunos a fazer formação superior fora de Moçambique e premiar alunos que mais se destacaram, em grande parte graças à dedicação da sua Directora Artística.

Reagindo à distinção, Kika Materula expressou a sua felicidade pelo facto do seu trabalho na área musical ter conseguido chamar atenção à imprensa nacional.
“Provamos que Moçambique não é só o país da Marrabenta e do Pandza. É um país de vários talentos e muito rico culturalmente”.

De acordo com Kika Materula, nenhum caminho é feito de forma solitária. Por isso mesmo, “gostava de agradecer à Associação para o Desenvolvimento Cultural – Kulungwana na pessoa de Henny Matos, por ter acreditado e confiado em mim, e aos meus colegas/colaboradores. Sei que nem sempre é fácil, mas ‘estamos juntos’”. E quanto aos alunos, a Directora Artística sublinhou: “vocês são sem dúvida a razão principal desta luta”. E aos patrocinadores também deixou um recado: “Sem patrocínio e apoios nada do que fazemos seria possível! Obrigada a todos os que nos apoiam desde 2013”.

Kika Materula agradeceu ainda à família, ao marido, ao filho e à mãe, por todos serem fontes de inspiração e de apoio incondicional.

Doravante, a artista e dirigente, realçou que se sente com mais responsabilidade de continuar a fazer muito em prol da música em Moçambique.