MarinaPacheco©Krystallenia Photography 4Marina Pacheco iniciou os seus estudos musicais com Pedro Telles, na Escola Maiorff, e licenciou-se na ESMAE sob orientação de José de Oliveira Lopes. É mestre em Performance Musical pela UCP – Escola das Artes, onde estudou com António Salgado e Sofia Serra. Em 2010/2011 integrou o Vlaamse Operastudio, na Bélgica, sendo bolseira do Programa Leonardo da Vinci e da Robus Foundation.

Marina Pacheco conta com a orientação de diversos profissionais no seu percurso que contribuíram e contribuem para o seu aperfeiçoamento vocal: Ambra Vespasiani, Ann Murray, Elisabete Matos, Ettore Nova, Fernanda Correia, Francisco Lazaro, Graham Jonhson, Jaime Mota, João Paulo Santos, Laura Sarti, Luciana Serra, Marc Tardue, Muriel Corradini, Nicholas McNair, Patricia MacMahon, Paulo Ferreira, Rui Taveira, Susan McCullogh, Susan Waters e Tom Krause. Actualmente desenvolve os seus conhecimentos técnicos e estilísticos com o maestro Marc Tardue e o tenor Paulo Ferreira.

Nas diversas produções em que esteve envolvida, Marina trabalhou com encenadores e coreógrafos de renome como António Durães, Catarina Costa e Silva, Clara Andermatt, Cláudia Marisa, Helen Suyderhoud, João Maria de Freitas Branco, Jorge Loureiro, José Lourenço, Marcos Barbosa, Max Hoehn, Norma Graça-Silvestre, Paula Azguime, Paula Sá Nogueira, Pedro Lamares, Peter Konwitschny, Sílvia Real, Sybille Wilson e Vincent van den Elshout.

Foi dirigida por António Diogo, António Saiote, Bart Bouckaert, Cesário Costa, Christoph König, Clara Coelho, Emílio de César, Filipe Veríssimo, Guillaume Bourgogne, Helder Magalhães, Ivo Venkov, Jairo Grossi, Jan Wierzba, Joana Carneiro, João Paulo Fernandes, João Paulo Santos, João Pedro Santos, José Eduardo Gomes, Luís Clemente, Luís Machado, Marc Tardue, Miguel del Castillo, Pedro Monteiro, Pedro Moreira, Pedro Sousa, Petter Sundkvist e Rui Pinheiro.

Marina atuou com a Banda Sinfónica da Covilhã, Douru’s Orquestra, Ensemble Contemporâneo do Porto, Ensemble ESML, Ensemble MPMP, Jenaer Philharmonie, Jeugd en Muziek Orkest van Antwerpen, Norrbotten Neo, Orquestra AMFF, Orquestra Artave, Orquestra de Câmara Portuguesa, Orquestra Clássica do Centro, Orquestra Clássica do Sul, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sine Nomine, Orquestra Sinfónica do Porto, Portuguese Brass, Sinfonieta da ESMAE e Sond’ar-te Electric Ensemble.

Marina Pacheco apresenta-se regularmente em Portugal e no estrangeiro, no âmbito da ópera, da oratória, da música de câmara e, particularmente da música contemporânea. Tem dois projetos com uma atividade performativa frequente: Marina Pacheco & Olga Amaro e Trio “À la joie…”, que se estrearam, respetivamente, em 2011 e 2017. Em 2016 criou o seu projeto “A Solo” totalmente dedicado à música contemporânea, onde se apresenta com obras a capela ou com recurso a vídeo e/ ou electrónica.

Marina Pacheco é elemento da European Network Opera Academies – ENOA – como representante da Fundação Calouste Gulbenkian. É membro da Comissão Artística da Orquestra Clássica do Centro.

Recebeu o 3º Prémio e o Prémio do Público no 19º Concurso Internacional do Estoril, 1º lugar no Concurso Stara Zagora (Bulgária, 2016), o 1ºlugar no Prémio Jovens Músicos RTP/Antena2 – categoria de canto nível superior (Portugal, 2012), o Prémio Vladislava Starkova no Concurso Internacional de Canto Pustina (Rep. Checa, 2012), 2o e 3º Prémios e Prémio Melhor Interpretação Canção Portuguesa nos 5º e 6º Concursos da Fundação Rotária Portuguesa (Portugal, 2011/2012) e o Prémio Finalista mais Jovem no Terzo Concorso Internazionale di Canto Lirico Luciano Neroni (Itália, 2009).

Em 2010, lançou o disco “João Arroyo: obra para canto e piano” com a pianista Joana David (@Phonedition Records) e, em 2013, o disco “Canções de Lemúria” – Marina Pacheco & Olga Amaro (@Parlophone). Em 2017, foi lançado o disco “Cantiga partindo-se” que gravou com o João Roiz Ensemble.